Consulado da Holanda homenageia imigração holandesa no Paraná

 In Destaque, Noticias

O Consulado da Holanda no Paraná realizou nesta quinta-feira (27), na na assembléia ordinária do Conselho de Comércio Exterior e Relações Internacionais (CONCEX-RI) da Associação Comercial do Paraná (ACP) a sessão solene em homenagem ao centenário da imigração holandesa ao Brasil.

A Associação do Parque Histórico de Carambeí participou da reunião oferecendo uma visão cultural da relação Brasil-Holanda enquanto as cooperativas de base holandesa (Batavo de Carambeí, Castrolanda de Castro e Capal de Arapoti) apresentaram uma perspectiva econômica do agronegócio cooperativo que resultou no sucesso da imigração desta etnia.

“Eles ajudaram a profissionalizar nosso agrobusiness”, enfatizou Edson José Ramon, presidente da ACP, durante o encontro em que destacou o papel preponderante dos imigrantes dessa etnia no desenvolvimento de nosso estado, com o modelo de produção. “Esse sistema [cooperativista] é nossa maior força de exportação e faz crescer o Paraná, que é o maior celeiro da nação”, disse.

Dick Carlos de Geus, presidente da Associação do Parque Histórico de Carambeí (APHC), apresentou aspectos culturais holandeses e da importância do Parque, que tem como missão deixar indelével a marca da presença holandesa no Paraná para as futuras gerações. “Nesse ano registramos a visitação de aproximadamente 115 mil pessoas e o Parque Histórico de Carambeí se consolida como um dos principais roteiros turísticos de nosso estado”, contou.

O cônsul da Holanda no Paraná, Robert Ruijter, anfitrião do encontro, traçou o perfil econômico, geográfico e estratégico da Holanda, mostrando ao empresariado paranaense que há muito espaço para crescimento nas relações empresariais entre ambos os países. Segundo Robert, o Brasil hoje é um dos principais destinos de investimento externo dos empresários de seu país, e que a Holanda – através do porto de Rotterdanm, é destino de € 4,5 bilhões em exportações brasileiras. “A Holanda é o segundo principal comprador do soja brasileiro, só ficando atrás da China”, exemplificou.

Cooperativismo – Garpar João de Geus, vice-presidente da Batavo Cooperativa Agroindustrial e diretor da APHC, apresentou um balanço das três cooperativas em números: produção agrícola (soja, milho, trigo, feijão e café) apresenta hoje 1,7 milhão de toneladas por ano e produção superior a 348 milhões de litros de leite por ano, entre outros. “Nossa produtividade é muito parecida com a dos maiores produtores no mundo”, afirmou. Gaspar ainda salientou a união intercooperativas, entre as três entidades, que tem resultados em diversos projetos como do novo moinho de trigo e um abatedouro de suínos. “Estamos nos unindo ainda mais na busca de tornarmos mais competitivos”, frisou.

Frans Borg, presidente da Castrolanda, lembrou que no início, técnicos holandeses foram enviados pelo governo daquele país às cooperativas e esse suporte auxiliou no desenvolvimento técnico agropecuário. “Eles nos ajudaram muito a termos esse nível de desenvolvimento”, ratificou.

O presidente da Capal, Erik Bosch, salientou a integração com os produtores brasileiros que somaram sua força à cooperativa. “Até a década de 80 ainda fazíamos nossas assembleias e reuniões em holandês e hoje dos 1,1 mil cooperados, pouco mais de 200 são de origem holandesa”, contou.

“Sem dúvida, a maior contribuição destes imigrantes ao nosso Estado e ao Brasil foi o modelo cooperativista, que a é grande inspiração do planejamento que temos até hoje”, disse o superintendente da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná – Ocepar, José Roberto Ricken. “O cooperativismo paranaense gerou nesse ano R$ 32 bilhões e devemos um pouco disso a eles [imigrantes holandeses]”, afirmou.

 

Encontro – “Hoje prestamos uma homenagem aos imigrantes e destacamos suas contribuições ao desenvolvimento do Estado”, explicou Odone Fortes Martins, coordenador do Conselho de Comércio Exterior e Relações Internacionais (Concex-RI) da ACP e organizador do encontro.

“Mostramos aos nossos visitantes que queremos contribuir no desenvolvimento de suas atividades e a construir para novos empreendimentos, pois nossa entidade tem grande representatividade e trabalhamos proativamente pelo desenvolvimento pleno do Paraná”, disse Odone.

Participaram ainda do encontro o vice-presidente da APHC, Frank Dijkistra; o represente-chefe do escritório de representação de negócios e fomento econômico holandês em Porto Alegre, Erik Bandoin; vice-presidentes e diretoria da ACP e empresários paranaenses.

 


Recommended Posts

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt