Custo ameaça avanço da exportação brasileira de carne bovina

 em Clipping

Essa é a avaliação de David Nelson, diretor de estratégia global da área de pesquisa e consultoria em alimentos e agribusiness do Rabobank, que participou ontem do Congresso Mundial da Carne, em Paris.

“O custo do trabalho está aumentando rapidamente no Brasil porque a economia está crescendo. Nos EUA, não há criação de empregos, por isso os salários estão estagnados”, afirmou. Ele pondera que, “de uma perspectiva de competitividade internacional na exportação, o aumento dos salários representa um desafio para o Brasil”; mas diz que “as empresas brasileiras que elevam os salários também ajudam a impulsionar o consumo doméstico”. De acordo com dados apresentados por Nelson no evento, na última década o custo do trabalho aumentou 70% no Brasil e 350% na China, e ficou praticamente estável nos EUA.

A perspectiva de oferta maior de gado para abate no Brasil e menor nos EUA – em decorrência de problemas climáticos em 2011 – é, de qualquer forma, uma oportunidade para o país retomar as exportações, que já corresponderam a 30% da produção há cerca de cinco anos e hoje estão abaixo de 20%, observou Nelson. “A questão é quem vai pagar mais: o mercado doméstico ou o internacional”, afirmou, acrescentando que o comportamento do câmbio também é um fator importante.

Elevar as exportações de carne bovina significa, para o Brasil, tirar vantagem de um mercado com preços mais altos, impulsionados pela menor oferta e tambem pela valorização dos grãos usados na ração animal. “A produção global de carnes (bovina, suína e de aves) é a mesma hoje que há seis anos, período em que o PIB mundial cresceu; por isso os preços são mais altos”, observou.

Para ler na íntegra, clique aqui. 

 

Leia também em:

Boi Pesado

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt