Geração Sustentável: A sustentabilidade como profissão

 In Clipping, Sustentabilidade

Nunca se ouviu falar tanto em sustentabilidade como nos dias atuais. As empresas estão cada vez mais conscientes de que precisam adotar cuidados para não agredir o meio ambiente e que a sustentabilidade é algo cada vez mais necessário. Ganhar dinheiro sem pensar nas consequências dos processos de produção para a sociedade e para a natureza deixará de ser, cada vez mais, a realidade de muitas empresas. E é diante desse cenário que o espaço para atuação de um profissional de sustentabilidade vai aumentando.

 

A crescente importância desta nova profissão motivou, inclusive, a criação de uma associação que é comprometida com as causas e as pessoas que atuam nesta área. A Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (Abraps) iniciou seus trabalhos no sudeste e desde o fim de 2011está atuando aqui na região sul. O primeiro evento promovido pela Abraps Sul foi um debate com cinco profissionais de renome nacional e internacional, mas que tem Curitiba como cidade sede. Apesar de atuarem em diferentes áreas, a sustentabilidade é algo em comum em suas vivências.

 

Entre os reunidos estavam o headhunter Bernt Entschev, empresário com mais de 36 anos de experiência e fundador da empresa De Bernt, especializada em Executive Search. Segundo ele sustentabilidade ainda não faz parte dos requisitos de contratação como deveria fazer, no entanto, destaca que todos deveriam ter esse tipo de conhecimento. “Sustentabilidade não é uma profissão, é uma missão de todos”, diz.

 

Nelton Friedrich, diretor de coordenação e meio ambiente da Itaipu Binacional, também foi convidado a participar do evento que teve como tema o profissional de sustentabilidade. Para ele sustentabilidade significa celebração da vida. “É preciso reconhecer a abordagem e complexidade da natureza e romper algumas barreiras que foram criadas”, relata.

 

O fundador da Nutrimental Rodrigo Rocha Loures foi igualmente convidado pela Abraps Sul para discutir sobre o perfil do profissional de sustentabilidade. “O tema veio à tona nas décadas de 50 e 60 quando se percebeu que os recursos eram finitos. Antes disso todos agiam sem uma preocupação com os recursos naturais”, lembra. Ainda de acordo com Loures os processos estão evoluindo com uma dinâmica em que só a questão ambiental não é suficiente para definir sustentabilidade. “Isso porque todo mundo busca bem-estar. O desafio é encontrar maneiras de proporcionar o conforte sem que isso afete negativamente o meio ambiente. A sustentabilidade está ao alcance de todos, só é preciso fazer as escolhas certas”, afirma.

 

O professor na área de sustentabilidade e inovação na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Eloy Casagrande Jr, também presente no evento promovido pela Abraps Sul em Curitiba, também defende que é preciso mudar hábitos sempre, já que é fácil se acomodar. “É muito difícil tirar as pessoas da sua área de conforto. O consumismo já está muito embutido na cabeça das crianças e dos adolescentes, principalmente. Hoje, ao mesmo tempo em que a criança recebe educação ambiental é constantemente estimulada a usar o tênis da moda, o ipad e o iphone”, relata. Nesse mesmo contexto o headhunter Entschev defende que alcançar a sustentabilidade requer uma mudança de paradigmas e conceitos do que é ser feliz. “Felicidade é muitas vezes comparada a ter dinheiro, carro, enfim, ao consumismo. É por isso que digo que sustentabilidade é um processo de evolução, uma mudança de mentalidade”, opina.

 

Para ler na íntegra, clique aqui.

Recommended Posts

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt