Cooperativas constroem um mundo melhor

 In Clipping, Cooperativismo

O cooperativismo se firma como motor de igualdade social e inclusão econômica, de acordo com o embaixador da ONU para as cooperativas, Roberto Rodrigues. Esse fato levou a ONU a promulgar 2012 o Ano Internacional das Cooperativas, reconhecendo o papel das cooperativas na promoção da paz.

Rodrigues participou do painel online “Cooperativas constroem um mundo melhor”, promovido pelo Sicredi e transmitido aqui no blog. Segundo ele, as cooperativas atuam como uma ponte entre o bem-estar coletivo e o mercado. “Precisamos de um projeto que volte a atenção das pessoas para uma economia mais verde, onde a atuação de pequenos produtores contribui para uma produtividade sustentável, com a distribuição de renda e desenvolvimento inclusivo. Isso pode fazer com que o Brasil seja um dos principais players em sustentabilidade em nível mundial. Queremos que o próximo prêmio Nobel da Paz venha para as cooperativas”, disse.

Para que isso ocorra, Rodrigues aponta a governança corporativa como o ponto principal a ser perseguido pelas cooperativas. “O respeito a esses princípios fez com que os bancos cooperativos e cooperativas de crédito e outros ramos pudesse superar crises como a dos anos 80, na Ásia, e a que está em curso atualmente na Europa e Estados Unidos”, recorda.

Cerca de um bilhão de pessoas em todo o mundo são integrantes de cooperativas de diferentes ramos como o de crédito, agricultura, saúde, entre outros, que geram mais de 100 milhões de empregos em 100 países.

 

Governança e crédito

O presidente executivo do Sicredi, Ademar Schardong, ressaltou que a governança é um ponto decisivo para que as cooperativas de crédito possam competir com o mercado em pé de igualdade, oferecendo produtos e serviços com o mesmo nível de qualidade. “Uma cooperativa não pode ser competitiva se não estiver em uma rede de distribuição, que ofereça um balcão de produtos de qualidade uniforme, além de ser necessário ter ganho de escala para reduzir custos. Já a governança deve mitigar os riscos das atividades junto a fornecedores, funcionários, governo, entre outros, preservando sua imagem e conduta nos cenários em que ela está”, defende.

De acordo com Schardong, o respeito a esses requisitos está garantindo que o Sicredi cresça cerca de 28% ao ano, em um mercado altamente concentrado. Até 2015, o Sicredi projeta alcançar a meta de 3,5 milhões de associados, a partir dos 2,1 milhões atuais, aperfeiçoando a gestão sem abandonar os princípios cooperativistas.

 

Cooperativismo No Mundo

Mais de 1 bilhão de pessoas em cerca de 100 países aderem ao sistema cooperativo, fundado em princípios como o da participação democrática, solidariedade, independência e autonomia, visando a prosperidade conjunta. Atualmente, o setor cooperativo responde pela geração de mais de 100 milhões de empregos e está presente nos cinco continentes.

 

No Brasil

No Brasil, o cooperativismo tem crescido a cada ano: em 2011, nos 13 ramos em que atua, o setor atingiu mais de 10 milhões de associados, registrando um crescimento de 11% em relação ao ano anterior, de acordo com dados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). O aumento se dá também na geração de empregos: 296 mil pessoas estavam empregadas em cooperativas em 2011, em torno de 9% a mais que em 2010, trabalhando em 6.586 cooperativas.

Em 2011, no ramo crédito, do qual o Sicredi faz parte, a OCB registrou um crescimento de 16% no número de associados, em relação a 2010, totalizando 4,6 milhões em 1.064 cooperativas de crédito. Nesse universo, o Sicredi ultrapassou, em 2011, a marca dos 2 milhões de associados, chegando, em maio de 2012, a 2,1 milhões de cooperados em 113 cooperativas nos dez estados onde o Sistema atua. O Sicredi conta também com 1.182 postos de atendimento.

 

Fonte:

EASYCOOP

Recommended Posts

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt