Núcleo de História e Patrimônio norteia as ações realizadas no Parque Histórico

 em Destaque, Noticias

Todas as atividades que acontecem no museu são pautadas em pesquisas realizadas por historiadores.

É impossível falar de um museu histórico sem mencionar os historiadores que são profissionais capacitados para cuidar do patrimônio da instituição. No Parque Histórico de Carambeí, maior museu histórico a céu aberto do Brasil, a equipe especializada responsável pela pesquisa e pela salvaguarda do acervo, a célula vital em uma instituição museal, está concentrada no Núcleo de História e Patrimônio (NHP).

O setor detentor do bens culturais do museu é composto por dois historiadores e duas estagiárias de Bacharelado em História. A instituição ainda conta com mais dois historiadores e uma acadêmica de história que integram o Núcleo Educativo, mas são os profissionais do NHP os únicos que trabalham diretamente com o acervo, são por meio das atividades desenvolvidas por este setor que circundam todas as ações realizadas no Parque.

Coordenador cultural e historiador do museu, Felipe Pedroso, explica que com a elaboração do NPH os trabalhos e pesquisas realizadas por historiadores passaram a direcionar o trabalho de todos os setores do museu.

“A criação do Núcleo de História e Patrimônio veio junto com o organograma da instituição, criado em 2014, e uma estruturação organizacional possibilitou que o trabalho realizado no museu fosse direcionado as partes competentes. Consequentemente, trouxe um trabalho mais eficiente e resultados positivos, houve a intensificação de tudo que é produzido aqui: desde o crescimento do número de exposições temporárias, a restruturação de exposição permanentes, ampliação do calendário cultural com a restruturação e a realização de eventos. Todo o trabalho realizado no Parque passou a ser pautado dentro do conceito da valorização da história e da memória local”, relata Pedroso.

Com o desenvolvimento do NHP, o acervo do museu passou a ser cuidado unicamente por profissionais especializados, que dedicam seu tempo para conhecer a fundo todo o material sob sua posse, de peças tridimensionais à documentação, a pesquisa que sempre teve prioridade passou a ser o ponto de partida das ações realizadas por outros setores.

“É necessário um conhecimento profundo do acervo do museu, o Núcleo de História e Patrimônio é o setor que detém esse conhecimento e está em constante pesquisa sobre os bens culturais para produzir o material que irá nortear as atividades realizadas pelos outros setores do Parque. Um exemplo é o discurso propagado aos visitantes pelo Núcleo Educativo”, conta o historiador do NPH Leonardo Pugina.

As atividades executadas pelo Núcleo Educativo dependem diretamente do trabalho realizado pelo NPH, complementa o historiador Lucas Kugler. “Todas as informações históricas são provenientes das pesquisas realizadas pelo Núcleo de História e Patrimônio, possuem um alicerce científico amparado pelo trabalho dos profissionais que integram esta equipe. Desde o modo que construímos a narrativa para que os mediadores possam contar aos visitantes a história de Carambeí até mesmo uma brincadeira realizada para grupos escolares, todas as ações produzidas pelo Educativo são sustentadas nas pesquisas produzidas pelos detentores do acervo”.

Para finalizar, Felipe expõe como o trabalho realizado pelo NHP também liga o Koffiehuis Confeitaria e Restaurante Parque Histórico de Carambeí as ações definidas pela instituição. “Por se tratar de um núcleo que trabalha com a memória e a cultura local a confeitaria e restaurante anexo ao museu seguem os paramentos definidos pelo Parque Histórico. Os dois tendem a dialogar, o Núcleo de História e Patrimônio por meio de pesquisas fornece subsídios para que o Koffiehuis possa difundir as práticas culinárias, a cultura alimentar e o patrimônio imaterial dos imigrantes holandeses e indonésios”.

Postagens Recomendadas
Contate-nos

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt