RPG é utilizado em ação educativa do Parque Histórico

 em Destaque, Noticias

Jogo que surgiu nos Estados Unidos e é conhecido no mundo todo será aplicado no museu como técnica para ensinar a história da imigração em Carambeí.

Núcleo Educativo do Parque Histórico de Carambeí aposta em jogo de interpretação, o RPG (Role Playing Game), para de modo lúdico ensinar a história da imigração no município ao público escolar, crianças acima de 10 anos.

Este é um jogo que busca a diversão dos participantes, onde não há vencedores ou perdedores, a equipe do Parque Histórico utilizará desta brincadeira para ensinar a história da imigração em Carambeí. “Diversas histórias poderão ser contadas a partir de um contexto pré-definido, poderão ser utilizados como base tanto literaturas quanto fatos históricos. Nós narraremos o contexto histórico dos imigrantes que vieram para Carambeí”, conta Lucas Kugler historiador responsável pelo Núcleo Educativo do Parque.

O RPG pode ser utilizado como técnica de aprendizado, Kugler explica como resolveu adaptar a brincadeira para aplicar em uma ação educativa. “A ideia da ação educativa surgiu com o contato com colegas da área de História que comentaram sobre a experiência do RPG como instrumento pedagógico em sala de aula. Com esse intercâmbio, conheci a experiência de Vítor Bianconi Menini, mestrando em História da UNICAMP, que apontou os pontos teóricos do ensino de história por meio do RPG”.

O jogo de interpretação surgiu nos anos 1970, nos Estados Unidos e aos poucos adquiriu fama no universo nerd. “A princípio, o RPG é um jogo onde os jogadores assumem papéis de personagens fictícios e tomam decisões dentro de uma história narrada por outro jogador, conhecido como mestre ou narrador”, Lucas relata como a atividade é realizada.

No RPG a história, além de ser construída coletivamente é incerta. Durante o jogo surgem desafios para os personagens e que precisam ser resolvidos pensando nas probabilidades e utilizando de dados que podem mudar o final. “Para narrar a história da imigração em Carambeí foram criados personagens, cada um possui uma ficha técnica com uma lista de suas habilidades, para cada característica das figuras foram criados valores que somados ao resultado do dado para saber se eles obtiveram sucesso ou não no teste. Dependendo do resultado, a história pode mudar completamente”, descreve o historiador.

Durante a brincadeira, antes dos alunos visitarem o Parque e conhecerem a história de Carambeí poderão visualizar elementos históricos tanto da Holanda quanto da Colônia Carambehy enquanto se aventuram em uma história de personagens fictícios. “Isso os estimulará a pensarem como sujeitos históricos frutos de seu tempo, para fazer uma escolha, eles não poderão pensar como estudantes que estão visitando o museu e sim como um fazendeiro ou uma artesã holandesa do começo do séc. XX. Para que a atividade seja mais produtiva será aplicada antes que o grupo conheça o Parque, pois deste modo, poderão conhecer os fatos históricos e depois identificar durante o passeio”, esclarece Kugler.

Serviço:

A atividade é restrita aos grupos escolares, a partir dos 10 anos. Para mais informações sobre o RPG, conhecer outras ações educativas do Parque Histórico e marcar a visita de grupos entrar em contato pelo e-mail agendamento@aphc.com.br, ou telefones 42 3231-5063 e 98433-4639.

Postagens Recomendadas
Contate-nos

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt