Tradições em terras brasileiras

A ingestão de chá e café na cultura do imigrante holandês na Colônia Carambehy da primeira metade do século XX, é tida como uma ocasião, um costume definido por horários que está atrelado às práticas sociais e ao labor. Entre as famílias esse costume pode variar, mas grosso modo as refeições são divididas em sete horários. Aos que exercem a prática da ordenha às 4 horas da manhã toma-se uma xícara de café com leite acompanhado de pão e bolo.  O café da manhã completo é tomado entre as 7:30 e  8 horas e o chá e o café são escolhidos a gosto, novamente as 10 horas toma-se café com leite com uma fatia de bolo, em muitos casos, os tradicionais ‘honingkoek – bolo de mel’, ‘kruidkoek – bolo de especiarias’ ou um bolo simples. Ao meio dia serve-se o almoço, às 15 horas é feita uma breve pausa para uma xícara de chá com ‘zandkoekjes – bolachinhas’, às 17 horas volta-se a tomar café com leite acompanhado de bolo ou um pão caseiro e finaliza com chá e pão as 19 horas.

O cardápio dos ingredientes pode mudar de acordo com cada família, ou da prática de labor que é exercida. O que se deve salientar é o processo das refeições definidas em horários marcados, indicando que a alimentação do imigrante holandês é atribuída a uma série de costumes. O alimento não é somente um alimento, “comer” é um ato social que está repleto de significados.

Hoje, as tradições e os costumes são mantidos, na medida do possível, pelos integrantes mais antigos da comunidade, no entanto, novos ingredientes são inseridos na dieta, com a disponibilidade e acesso a novos produtos. Os costumes vão sendo moldados na nova realidade e sendo adaptados ao ritmo da vida pós-moderna, contudo, apesar das rupturas, ainda é predominante o consumo de chá e café.

Contate-nos

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt