0

Parque Histórico recebe exposição itinerante do Centro Cultural Castrolanda

A mostra retrata as transformações na produção leiteira da Colônia.

Produção Leiteira em Castrolanda: Vida e Tradição é o tema da exposição itinerante, do Centro Cultural Castrolanda, que ficará no Parque das Águas do Parque Histórico de Carambei no período de 18 de outubro até 30 de novembro. A mostra abrirá ao público no horário de funcionamento do Parque, de terça a domingo, das 11h às 18h.

Com a exposição o museu conta sobre a produção leiteira que faz parte da identidade da colônia holandesa, desde sua fundação em 1951 e que deu a cidade de Castro o título de Capital Nacional do Leite. A mostra tem por finalidade demonstrar as transformações pela qual passou a produção leiteira, em Castrolanda, ao logo dos anos.

“É muito importante para o Parque Histórico receber uma exposição do Centro Cultural Castrolanda, para ilustrar um pouco da história dessa comunidade irmã. Ações como esta ajudam a fortalecer os laços entre as instituições”, afirma Felipe Pedroso, coordenador cultural e historiador do Parque Histórico.

Serviço:

O ingresso para visitar o Parque Histórico é R$16,00.
Professores, estudantes, doadores de sangue regulares com documento comprobatório e pessoas com deficiência pagam meia entrada, que equivale a R$8,00. Moradores de Carambeí cadastrados, crianças até 6 anos, acompanhante necessário de pessoa com deficiência e pessoas acima de 60 anos são isentos da taxa. Grupos precisam ser marcados com antecedência, mais informações pelo e-mail agendamento@aphc.com.br.

0

VI Festival de Tortas foi um sucesso

O evento retornou ao formato inicial e aconteceu no Parque Histórico de Carambeí.

Nem mesmo a chuva torrencial impediu o sucesso do VI Festival de Tortas, e inibiu o público apaixonado pelas deliciosas e famosas tortas de Carambeí de prestigiar o evento. Cerca de 10,5 mil pessoas passaram pela festividade que aconteceu no final de semana, uma realização da Prefeitura Municipal em parceria com o Parque Histórico de Carambeí.

“Com um público de dez mil visitantes, em sua VI edição, percebemos que o Festival de Tortas é um evento consolidado nos Campos Gerais, sendo uma vitrine para nossa tradicional gastronomia que são as tortas e para o Parque Histórico de Carambeí que é um produto turístico não só do município, como também do Paraná”, anima-se Adalgiza Bachosky, jornalista da Prefeitura Municipal e integrante da equipe de organização.

Para a secretária municipal de desenvolvimento e organizadora do Festival de Tortas, Aline Valer, voltar ao formato inicial da feira foi essencial para o êxito da sexta edição. “Centralizar todas as confeiteiras em um só lugar e realizar o evento no Parque Histórico fez do Festival um sucesso. Esse formato favorece, pois o público tem oportunidade de visitar o Parque e passar um tarde agradável em família. A circulação das pessoas evita tumulto, pois a concentração não fica em um só lugar e facilita no atendimento”.  Ela, ainda comenta que a intenção da Prefeitura, idealizadora do evento, é dar continuidade e principalmente criar oportunidades para que mais confeiteiras do município possam participar e com isso manter a tradição das tortas de Carambeí. “Para as próximas edições a Prefeitura com o apoio e  parceria do Parque Histórico de Carambeí tenciona mudar a data para aproveitar melhor o período de inverno e evitar as temporadas de chuvas, comuns no início da primavera”, completa.

O evento contou com uma programação diversificada com o intuito de atender ao público de diferentes idades. Teve cantinho kids, apresentação do Palhaço Picolé, música ao vivo, encenação do cotidiano dos imigrantes com o Museu Interativo, todas as alas museais do Parque estavam abertas e com acesso livre para visitação. As estrelas do festival, não podia ser diferente, foram os mais de 30 sabores de tortas doces.

“É preciso mantermos a tradição das tortas de Carambeí, que nasceram de receitas centenárias e que a cada geração foram adaptadas e acrescidas de diferentes sabores, aromas e muita criatividade, o que as tornam extraordinariamente deliciosas”, afirma a jornalista.

Pâmela Ribas, gerente de atendimento do Frederica’s Koffiehuis, fala sobre a VI edição da feira que teve como plano de fundo o cenário do Parque. “Para o Frederica’s o evento foi bom, pois proporcionou que divulgássemos a gastronomia e cultura da cidade com o plus da bela paisagem do local e excelente estrutura.”

Bolos também tiveram espaço no Festival de Tortas

No evento também teve espaço para confeiteiras artesanais especialistas em bolos. Dayana Rigoni, cake designer, é conhecida em Carambeí pelos bolos que produz e que são verdadeiras obras de arte. A confeiteira relata que a feira é uma vitrine para o seu trabalho. “É a segunda vez que participo do Festival, vejo como uma oportunidade para divulgar o meu trabalho. Muitas pessoas tiram fotos dos meus bolos, fazem transmissões ao vivo nas redes sociais, outras levam cartão de visitas e posteriormente recebo encomendas decorrentes do evento”.

Adalgiza conta que o evento surgiu com o intuito de valorizar as confeiteiras que trabalham em suas casas e fortalecer os café das cidade, finaliza dizendo que é necessário investir na formação de novas confeiteiras. “Seguindo um dos principais objetivos, desde sua criação em 2010, que é a valorização das torteiras que produzem artesanalmente em suas casas e a consolidação dos empreendimentos já formalizados, o evento a partir de agora necessita seguir e reinventar-se mas sem perder a essência. Tanto o poder público e a iniciativa privada que estão diretamente ligados na construção e organização do Festival de Tortas deverão investir em projetos que estimulem o surgimento de novas torteiras e também no aprimoramento daquelas já envolvidas no segmento”.

0

Semana da Criança no Parque Histórico

Museu resgata brincadeiras antigas para programação especial da Semana da Criança.

Já pensou em aproveitar esta semana, que antecede o Dia das Crianças, para mostrar aos pequenos como era divertida a infância de antigamente? Um tempo sem muitas tecnologias, onde a diversão acontecia nas brincadeiras mais simples. Pensando nisso o Núcleo Educativo do museu resgatou algumas brincadeiras antigas para a Semana da Criança que acontecerá de 9 a 11 de outubro, das 11h às 17h30, no Parque Histórico.

As recreações acontecerão na Vila Histórica, ao lado da construção que recebe a Mostra Fotográfica e Exposição Infância na Colônia Carambehy. Será uma oportunidade para os pequenos prestigiarem a exposição, verem como eram as brincadeiras das crianças no passado e se divertirem reproduzindo essas atividades.

As brincadeiras serão abertas ao público, faixa etária livre, pais e filhos poderão se divertir juntos. Os pais poderão relembrar o tempo de sua infância e ensinar a garotada a andar de perna de pau, jogar sjoelen (um jogo holandês que lembra bocha), ver quem é o mais forte no cabo de guerra, disputar uma partida de futebol de botão, pular corda, jogar bolinha de gude, brincar de passa anel e ver quem consegue ficar mais tempo equilibrando o bambolê.

“Resgatamos algumas brincadeiras antigas, bastante comuns na comunidade carambeiense. O intuito dessa atividade não é apena ser lúdico, mas para que também as crianças possam sentir a diferença que existe em ser crianças em determinadas épocas”, explica o historiador Lucas Kugler.

Não é necessário inscrição prévia para participar das atividades, também não será cobrada nenhuma taxa especial. O ingresso para visitar o Parque dá direito a participar das brincadeiras e crianças até 6 anos são isentas da taxa, moradores de Carambeí cadastrados também não pagam entrada. Mais informações pelo e-mail agendametno@aphc.com.br, ou telefones 42 3231-5063 98433-4639.

0

Koffiehuis Parque Histórico investe em eventos sociais e corporativos

Créditos: Wedding Planner – Luciano Tonon

Para cada evento será preparado um cardápio diferenciado e personalizado.

Sabe aquele dia especial? Precisa ser celebrado para ficar guardado na memória e no coração. Pensando nisso, o Koffiehuis Parque Histórico de Carambeí iniciou os serviços de buffet especialmente para eventos de pequeno e grande porte, sociais e corporativos, realizados no Parque ou em outro local.

Todo o trabalho será personalizado e o menu de cada evento será criado de acordo com os gostos e necessidades dos clientes. O chefe de cozinha Rafael Leão e a chefe confeiteira Viviane Prado estão preparados para criar os mais diversos cardápios para: aniversários, festas de quinze anos, casamentos, coquetéis, eventos empresariais, almoços e jantares temáticos, festas étnicas, festas infantis, coffee break, reunião de amigos, etc. “Atenderemos a todos os públicos, faremos desde cerimônias íntimas até eventos luxuosos. Tudo será criado com muito carinho e em conjunto com os clientes, pois queremos atender exigências de cada um para preparar algo diferenciado e único”, afirma a chefe confeiteira.

O Parque Histórico aproveitou o momento em que o segmento de eventos está em expansão e ainda é pouco explorado na região. Com a ampliação da cozinha e a construção do espaço de festa para o Koffiehuis, no início deste ano, a proposta da direção do Parque é dedicar cada vez mais às festividades sociais e corporativas.

Já imaginou levar os sabores dos doces e salgados servidos no Koffiehuis para a sua festa? As deliciosas tortas servidas no Parque poderão integrar as mesas de doces finos do seu evento, seu sabor preferido poderá se tornar um mini tortelete. Basta usar a imaginação que a equipe do Parque criará um cardápio personalizado para encantar seus convidados. Que tal levar para o seu evento o sabor da Indonésia na versão Finger Food que são mini porções para comer com as mãos? Agora será possível.

Serão atendidos eventos no Parque e até mesmo em outros locais, como: clube, casa, fazendas, salão de festas, etc. Mais informações pelo telefone 42 3231-5876, ou e-mail vivianekoffiehuis@aphc.com.br e agendamento@aphc.com.br.

0

Parque Histórico realiza workshop sobre gastronomia holandesa e indonésia

Funcionários do museu participaram de treinamento sobre a tradição alimentar dos imigrantes holandeses e indonésios que hoje influenciam na culinária de Carambeí

A equipe de funcionários do Parque Histórico de Carambeí participou do workshop Sabores da ImigraçãoConhecendo a tradicional culinária Indonésia e Holandesa. O treinamento foi ministrado por Felipe Pedroso historiador e coordenador cultural do Parque Histórico, e pesquisador da história da alimentação.

O workshop iniciou às 12h com uma explanação sobre a Holanda, os hábitos alimentares dos neerlandeses e que tipo de alimentos são os mais consumidos por eles. Foi explicada a relação dos Países Baixos com a Indonésia e a influencia na culinária que hoje se faz presente em Carambeí.

“A gastronomia holandesa é bem simples e tem base nos sabores do campo. A culinária indonésia é formada pelos sabores tropicais que devem obrigatoriamente aguçar todos os sentidos do paladar. Por termos imigrantes holandeses e indonésios a culinária de Carambeí é uma junção desses dois expoentes e também de outras referências étnicas”, explica Felipe.

O Parque Histórico é um memorial da cultura holandesa, o maior museu histórico a céu aberto do Brasil, que possui um restaurante e confeitaria, o Koffiehuis, no qual difunde a tradição alimentar dos imigrantes. O historiador e amante da história da alimentação conhece profundamente a cultura alimentar indonésia, desde que começou a trabalhar no Parque Histórico aprofundou seus estudos na gastronomia holandesa, e foi ele quem desenvolveu o material para o treinamento dos funcionários.

“O treinamento foi para toda a equipe e abordou os fundamentos das duas culinárias em questão. Para que todos tenham um amplo conhecimento do cardápio do Koffiehuis que vai muito além de uma simples alimentação, é um menu que carrega história e culturas. Na oportunidade, os presentes puderam experimentar as sensações anunciadas no workshop com degustação dos principais pratos oferecido pelo estabelecimento, dessa forma o aprendizado se tornou sensorial. Para aprimorar o conhecimento passado neste dia foi confeccionado um material detalhado que foi entregue aos funcionários”.

O material entregue no workshop será de grande ajuda para a atendente do Koffiehuis, Ilze Brandt aprimorar seus conhecimentos. “O diferencial foi a apostila que será muito bem utilizada, pois quando participamos só como ouvintes acabamos esquecendo algumas coisas. Com o material de apoio, que carrego sempre comigo, sempre estou estudando e relembrando. Antes quando tinha dúvidas precisava ir em busca de alguém que pudesse me ajudar, como a apostila é bem completa posso pesquisar rapidamente. Me sinto mais segura e confiante para explicar para os clientes quanto aos sabores, temperos e origens do pratos”.

O coordenador da equipe de mediação do Parque Histórico, Leandro Marcondes, afirma que o treinamento foi excelente para que todos pudessem aprender sobre as influências da gastronomia holandesa e indonésia na culinária local e passar isso aos turistas. “Com esse workshop, os mediadores poderão passar mais informações para o visitante, que ficam curiosos com essa mistura de sabores da nossa cidade, assim como eles mesmo puderam experimentar essa cultura pelo paladar e conhecer as origens dos pratos apresentados e servidos no koffiehuis. Visto que grande parte dos mediadores são das cidades vizinhas e não tinham um conhecimento profundo da culinária de Carambeí”.

Auricéia Meijerink, funcionária do souvenirs do Parque, diz que a experiência de provar os pratos, após explicação do historiador e com o auxílio do material de apoio entregue facilitará para explicar ao público sobre os produtos servidos no Koffiehuis. “Eu achei excelente! Vai me ajudar muito junto aos turistas, para explicar a relação entre a Holanda e Indonésia, através da colonização e a influência da culinária Indonésia sobre a Holanda! Isso os visitantes sempre perguntam. E com a explicação do Felipe, fechando com a experiência dos pratos que tivemos, ficou perfeito! Além do material explicativo”.

0

Parque Histórico terá Museu Interativo no dia 13 de outubro

A reprodução do cotidiano dos imigrantes integra a programação especial do museu para o Festival de Tortas.

Já imaginou vivenciar a década de 1930 em um colônia de imigrantes holandeses, no interior do Paraná? No Parque Histórico de Carambeí, maior museu histórico a céu aberto do Brasil, em dias de Museu Interativo que acontece em datas especiais, é possível reviver o nostálgico cotidiano dos imigrantes. No dia 13 de outubro, a partir das 15h, o museu ganhará vida e você é convidado para fazer essa experiência de viagem ao passado.

A Vila Histórica, ala museal que reproduz a antiga Colônia Carambehy, estará habitada por descendentes de imigrantes que reproduzirão o dia a dia de seus antepassados. Visitar o Parque neste dia é um convite para se emocionar ao ver os voluntários reconstruindo cenas corriqueiras, que muitas vezes passam despercebidas e que emocionam o público por trazer boas lembranças de seus antepassados.

Lourdes Kachinski difunde a cultura polonesa no Museu Interativo

A vida simples do campo seja na Colônia Carambehy ou em outra localidade é muito parecida. Por isto, muitos visitantes associam a reconstrução do cotidiano dos imigrantes a uma cena na aconchegante casa da vovó, seja por uma bolacha assada no forno lá fora, ou ao experimentar um pedaço de broa da vó polonesa.

Os voluntários, que reproduzem o dia a dia dos moradores da Colônia Carambehy, mostram a interação entre os holandeses com as outras etnias presentes na pequena comunidade. Cada uma das construções que compõe a reprodução da nostálgica vilinha de imigrantes tem atividades, pessoas com trajes de época e algumas com um sotaque arrastado interagem com os visitantes.

As saudosas viagens de trem são representadas na réplica da estação Carambehy. Nas casas sempre tem alguém feliz a espera de visitas, com a mesa posta para o café e com deliciosos quitutes preparados com todo carinho. Na pequena igreja sempre tem alguém tocando músicas sacras no antigo harmônio. Na escolinha é possível aprender algumas palavra em holandês, com a professora linha dura que sempre está à disposição para ensinar. Na oficina sempre tem um voluntário mostrando seus dotes de ferreiro e marceneiro.

Visitar o Parque em dias de Museu Interativo é uma experiência ímpar, que fica guardada na memória e no coração do público. É reviver um passado distante, mas que ainda traz inesquecíveis lembranças de cenas parecidas da vida no campo, da casa da vovó ou de algum parente. Nestes dias é comum ver o público emocionado, ver lágrimas de saudade rolando e sentir o encantamento de todos.

Serviço:  

O Museu Interativo que acontecerá no dia 13 de outubro, a partir das 15h, integra a programação especial do museu para o VI Festival de Tortas que acontecerá no Parque Histórico, de 12 a 14 de outubro. Devido ao evento, nestes três dias, o horário de visitação do Parque será estendido, das 10h às 20h, e a entrada será gratuita.

0

Festival de Tortas irá movimentar Carambeí no feriado

Parque Histórico e Prefeitura Municipal preparam uma programação especial para o público do evento.

O feriado prolongado, de 12 a 14 de outubro, no Parque Histórico de Carambeí será marcado pela realização do VI Festival de Tortas. Nos dias do evento o Parque estará com uma programação especial e abrirá das 10h às 20h com entrada gratuita.

Serão três dias de evento, realizado pelo Parque Histórico em parceria com a Prefeitura Municipal de Carambeí, e a programação foi preparada para atender o público de diferentes idades. Música ao vivo, atividades recreativas para crianças, futbolha, artesanato e mais de 30 sabores de tortas doces.

Na sexta (12), das 14h às 16h, a diversão da garotada será garantida com o Palhaço Picolé e os talentos locais, das 14h às 19h, se apresentarão no palco do evento. O sábado será marcado pelo Museu Interativo, música ao vivo e a apresentação do Grupo Folclórico Holandês de Castrolanda. No último dia de evento a partir das 16h haverá música ao vivo.

Mais informações pelos telefones 42 3231-5063 e 98433-4639, ou e-mail agendamento@aphc.com.br.

Confira abaixo as atrações e os horários:

0

Koffiehuis Parque Histórico se prepara para o Festival de Tortas

Foram selecionados onze sabores de tortas doces que são mais pedidos pelo público.

Com um doce e saboroso cardápio o Koffiehuis Confeitaria e Restaurante Parque Histórico de Carambeí se prepara para participar do VI Festival de Tortas. O evento realizado pelo Parque Histórico de Carambeí maior museu histórico a céu aberto do Brasil, em parceria com a Prefeitura Municipal, tem o apoio da Frísia Cooperativa Agroindustrial e acontecerá nas dependências do museu entre os dias 12 e 14 de outubro, a será entrada franca.

O menu de tortas doces que será servido pelo Koffiehuis terá onze sabores de tortas, foram selecionadas as mais pedidas no estabelecimento gastronômico. Ameixa, amora, chocolate, holandesa, morango, requeijão, supreme e banoffi a torta preferida do público, essas tortas contemplarão o cardápio especial para o evento. As tortas típicas da Holanda speculaas (torta de especiarias) e appeltaart (torta de maçã) não poderiam ficar de fora, são receitas centenárias trazidas pelos imigrantes que permitem que o público conheça a cultura culinária dos Países Baixos. Pensando em quem está de dieta ou tem restrição ao açúcar a torta diet de chocolate será a escolha perfeita.

“Estamos com a produção a todo o vapor, literalmente. Na expectativa de muitos visitantes. Selecionamos deliciosas tortas e o carinho será transmitido em cada uma delas”, anima-se a chefe confeiteira Viviane Prado.

0

Parque Histórico difunde saberes culinários por meio de doces e tortas

A tradição alimentar dos imigrantes está presente nos pratos preparados no Koffiehuis.

O Parque Histórico de Carambeí é o maior museu histórico a céu aberto do Brasil, um memorial da imigração holandesa que tem como compromisso difundir a cultura dos imigrantes. O Koffiehuis Confeitaria e Restaurante, estabelecimento gastronômico criado com o intuito de atender aos visitantes do museu, possui um cardápio que foi preparado para proporcionar ao público uma imersão cultural.

Carambeí é conhecida como a Cidade das Tortas, por esse motivo muitos dos visitantes chegam ao museu atraídos pelo cardápio de tortas doces que é o carro chefe do Koffiehuis. Muitas dessas tortas são feitas a partir de receitas centenárias de imigrantes holandesas. As confeiteiras do Parque não são imigrantes e nem descendentes de holandeses, mas possuem o papel fundamental de reproduzir receitas para difundir o patrimônio cultural.

“As confeiteiras são instrumentos importantíssimo na preservação e propagação da cultura gastronômica local, é por esses saberes e técnicas de preparo que museu cumpre sua função de instituição de memória, transmitindo o saber culinário da comunidade que representa”, afirma Felipe Pedrosos, historiador e coordenador cultural do Parque.

Serviço:

Entre os dias 12 e 14 de outubro o Parque Histórico de Carambeí receberá o VI Festival de Tortas. O evento terá entrada gratuita e será uma oportunidade para o público fazer uma imersão na cultura alimentar da cidade. Mais informações pelos telefone 42 3231-5063 e 98433-4639.

0

Parque Histórico contrata dois chefes de cozinha para o Koffiehuis

Especialistas em restaurateur, pâtisserie e boulangerie os cozinheiros seguem uma nova tendência na gastronomia que busca cativar o público com emoções geradas na degustação dos pratos.

Os chefes de cozinha Rafael Leão e Viviane Prado foram contratados pelo Parque Histórico de Carambeí para coordenar os trabalhos realizados no Koffiehuis Confeitaria e Restaurante.  Os cozinheiros serão responsáveis em aprimoramento do atendimento e padronização dos produtos oferecidos pelo estabelecimento gastronômico.

Viviane Prado chefe confeiteira 

Formados pelo Centro Europeu, Rafael é chefe de cozinha e restaurateur, já Viviane seguiu na linha da panificação e confeitaria e fez o curso de pâtisserie e boulangerie. Com experiência na área de eventos e restaurantes, os cozinheiros seguem a linha Comfort Food, que é uma nova tendência na gastronomia como explica Viviane. “Trabalhamos com o Comfort Food, fazemos o resgate da cozinha da vovó, cozinha de afeto com sensações , texturas, aromas, sabores e temperos. Gostaríamos de despertar emoções pelo paladar com pratos preparados e servidos com muito amor, queremos que os clientes vivam momentos especiais no Koffiehuis e assim despertar boas lembranças”.

O menu principal do Parque Histórico continuará sendo a gastronomia holandesa e indonésia, pois como o estabelecimento gastronômico fica dentro de um museu que trabalha a história destas culturas, a prioridade é trabalhar com a difusão destas culinárias. Inicialmente será aprimorada a apresentação dos alimentos, o cardápio ganhará novos produtos que serão assinados pelos chefes e a decoração do Koffiehuis ganhará um toque especial para ficar mais acolhedor. Os chefes investirão em eventos sociais, corporativos, jantares temáticos, atividades internas e externas com o intuito de otimizar a estrutura oferecida pelo museu. A prioridade será lapidar a equipe do Koffiehuis e criar critérios para melhorar o atendimento ao público.

Rafael Leão chefe de cozinha

“A culinária indonésia e holandesa será um grande desafio, os processos são novos para mim. Inicialmente será um tempo de muito estudo, de pesquisas, de busca de conhecimento para aperfeiçoar as técnicas da produção”, comenta Rafael.

Viviane diz estar com frio na barriga. “Tudo que é novo, qualquer mudança, mexe com nosso emocional, mas ao mesmo tempo é um combustível para trabalhar e fazer o melhor. Sou grata aos gestores do Parque Histórico e a toda a comunidade que nos acolheu, trabalharemos muito para corresponder e superar as expectativas. Será um trabalho realizado em equipe, pois temos muito a aprender com os profissionais que trabalham no Koffiehuis há anos e nosso lema é que o sucesso só acontece com integração e valorização de todos”.

Contate-nos

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt