A sociabilidade foi um fator importante na vida dos imigrantes holandeses na colônia Carambehy e se deu em diversas instâncias, contudo, sempre pautada dentro da moral protestante reformada. Na década de 1920, com a chegada de famílias alemãs, foi fundada por esse núcleo étnico, uma associação de práticas esportivas, os mais idosos da colônia não aprovavam as atividades e consideravam as práticas e as vestes utilizadas uma falta de respeito a Deus.

Com o passar do tempo, em meados dos anos de 1950, o futebol tornou-se o esporte mais popular em Carambeí. Um jogo contra um clube de fora sempre contava com a assistência de quase todos os colonos. Era um acontecimento muito comentado, principalmente, quando o time local vencia. Mas, eram poucos estes jogos com outros clubes, devido às dificuldades com transporte e devido principalmente ao fato do clube de Carambeí não jogar aos domingos. O descanso no domingo era respeitado rigorosamente.

Quando o clube de Carambeí ia jogar em Castro, era fretado um caminhão para transportar os jogadores e os torcedores. Não haviam carros próprios, e assim todos que iam pagavam uma taxa para cobrir as despesas com o transporte.  O trem de Ponta Grossa para Castro também não era uma solução, os horários e itinerários eram muito limitados. Quando um clube de Castro ou de Ponta Grossa vinha para Carambeí, as despesas também eram cobridas pelos colonos.

O clube de futebol foi fundado pelo pastor Muller na década de 1940 e um dos imigrantes, Leendert de Geus pôs a disposição um terreno perto de sua casa para treinos e jogos. O primeiro jogo contra um time de fora foi disputado contra um time do Tronco, no dia 7 de setembro de 1945. Neste jogo, um dos jogadores de Carambeí, Willem de Geus, quebrou uma perna e este acontecimento colocou em cheque as práticas esportivas, os mais velhos consideravam o esporte irresponsável e perigoso e propunham a sua proibição na colônia.

Passado o ocorrido e a recuperação de Willem, o esporte voltou a ser praticado pelos imigrantes. Por mais de 25 anos, Willem de Geus, foi um jogador ativo e durante muito tempo o presidente do clube.

Os treinos e jogos eram sempre realizados no sábado à tarde, já que o código de conduta protestante reformado proibia qualquer atividade aos domingos. Uma época muito positiva para o clube foi quando o Sr. Anneveld, de Amsterdã, veio residir na colônia. Ele foi técnico da sessão juvenil do clube Ajax de Amsterdã e sabia muito sobre a técnica do futebol, podendo contribuir para o desempenho dos jogadores de Carambeí.

Ele voltou com a sua esposa para a Holanda, mas os seus filhos Huub e Wim, jogadores fanáticos, continuaram a residir por aqui. O clube de Carambeí ia participar do campeonato amador de Castro, e era para os outros times participantes, um adversário forte. Não chegaram a vencer o campeonato, mas finalizaram em terceiro ou quarto lugar na competição.

 

A mostra fotográfica Várzea – o futebol na colônia Carambehy evidencia por registros de fotógrafos anônimos as formações dos times amadores, pelo testemunho visual é possível apreciar as transformações na prática esportiva.

Contate-nos

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt