PARQUE HISTÓRICO DE CARAMBEÍ SERÁ DECLARADO DE UTILIDADE PÚBLICA

 em Noticias
ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO PARANÁ – DEPUTADO NEY LEPREVOST (PP) 29/05/2009
PARQUE HISTÓRICO DE CARAMBEÍ SERÁ DECLARADO DE UTILIDADE PÚBLICAO resgate de nossa memória é a garantia de um futuro com bases sólidas. Como forma de apoio ao movimento cultural do Paraná, o deputado Ney Leprevost protocolou uma solicitação declarando o Parque Histórico de Carambeí de utilidade pública, assegurando que o espaço, localizado nos Campos Gerais, tenha seu devido valor reconhecido.O projeto do Parque Histórico de Carambeí é ambicioso e profissional: apresenta uma larga base intelectual solidificada em projetos bem sucedidos de estados com uma vertentes turísticas, como Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, desenvolvendo projeções de potencial de captação econômico, por meio de investimentos público-privados, resgate do valor histórico-cultural e qualidade na infra-estrutura oferecida. A idéia é exercer a função de Arranjo Produtivo Local, uma forma eficiente de impulsionar essa indústria sem chaminés, que é o turismo.A exemplo da grande comemoração do centenário da imigração japonesa ao Brasil, em 2008, o Paraná celebra em 2011 os cem anos de colonização holandesa. Aproveitando a data para valorizar o patrimônio cultural da cidade, o Parque Histórico de Carambeí apresenta um novo conceito de museu, que integra um acervo que apresenta a história dos pioneiros holandeses, espaço para eventos (que abrigou mais de 20 mil pessoas na última Festa do Imigrante), e exposição de tratores. “O Parque Histórico de Carambeí é um exemplo da evolução do conceito de museus no Paraná: um espaço amplo e versátil, que nos remete, ao mesmo tempo, o passado e o futuro”, destaca Ney. Ainda segundo o deputado, a novidade da interdisciplinaridade do espaço em Carambeí é um grande estímulo para o turismo na localidade: “Nos Campos Gerais, a ocupação territorial foi feita por índios, tropeiros e imigrantes europeus, dentre eles os holandeses, organizou municípios com traços familiares ao Velho Continente. Conhecer a nossa história e, ao mesmo tempo, as novas tecnologias utilizados no campo é fortalecer o elo com as raízes do nosso Estado”, diz.A área de cem mil metros quadrados, anexa à Casa da Memória, tem peças em processo de catalogação junto ao Instituto do Patrimônio Histórico Nacional. “A preservação de patrimônio histórico é uma forma de manutenção da identidade paranaense”, complemente Ney.

Fonte/Autor:
Juliana Hasse De Rezende / (41) 3350 4192/ 8864 8265 / Juliana@neyleprevost.com.br

.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt