Brasil e EUA têm potencial para mercado de energias renováveis

 em Clipping, Sustentabilidade

Brasil e Estados Unidos são líderes globais na produção de etanol e estão em níveis bastante próximos nas pesquisas de alternativas energéticas verdes. A tarefa essencial é avançar os acordos comerciais para serem parceiros estratégicos e líderes nesta área – e não concorrentes. Gabriel Rico, CEO da Amcham, diz que “Brasil e EUA têm tecnologias avançadas em diferentes culturas que são comercialmente importantes para ambos.”

O assunto foi um dos temas debatidos em entrevista coletiva após a cerimônia de Posse do Conselho de Administração 2012 da Amcham, realizado nesta quinta-feira (22/03), na Amcham-São Paulo. Participaram também do encontro Myron Brilliant, vice-presidente de Assuntos Internacionais da U.S. Chamber of Commerce, e José Augusto Fernandes, diretor de estratégia da CNI (Confederação Nacional da Indústria).

Além de cooperação energética, considerado um tema estratégico das relações entre os dois países, o debate ainda falou sobre o potencial de produção de alimentos no mundo e os caminhos da produção de petróleo e o espaço do Brasil com a descoberta do pré-sal.

 Confira os principais trechos da entrevista coletiva: 

Amcham: Quais as maiores oportunidades na área de energia?

José Augusto Fernandes: No campo de energia, temos duas áreas de grande interesse. Uma é de petróleo e gás. Atualmente, várias empresas americanas já operam no Brasil por meio de parcerias com a Petrobras ou como prestadoras de serviços. O País tem desenvolvido centros de pesquisa com bastante foco na área de petróleo e gás que estão ganhando escala global. A segunda área importante de cooperação é a área do etanol. O Brasil e os EUA são os grandes produtores mundiais de etanol. E há um interesse estratégico de que ambos transformem o etanol em uma commodity global à semelhança do petróleo – sem taxações ou barreiras artificiais. Tivemos neste ano uma evolução muito importante que foi a eliminação na tarifa nos EUA. Foi um avanço importante que cria um novo cenário para essa indústria no Brasil. E temos diálogos entre os dois países para uniformizar padrões técnicos do etanol. Há várias oportunidades associadas a pesquisas de segunda geração nessa área, em que a parceria entre o Brasil e EUA será muito importante.

 

Para ler na íntegra, clique aqui.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt