Paraná de todos os Povos

 In Destaque, Noticias

 

Eduardo (16)_compressed
Foto: Eduardo Abud Limas

Exposição de fotos retrata a cultura das diferentes etnias que fizeram do Estado sua casa.

Para comemorar o mês do folclore a Casa da Memória do Parque Histórico de Carambeí recebe a mostra fotográfica Paraná de Todos os Povos que é resultado da parceria entre a instituição museal e o Centro Europeu de Ponta Grossa, durante a 8ª edição da Festa dos Imigrantes realizada no mês de maio. A exposição de fotos abriu para visitação do público no dia 28 de agosto e segue em cartaz até 15 de novembro, de terça a domingo, das 11h às 18h com entrada gratuita.

A convite da Associação Parque Histórico de Carambeí (APHC) alunos do curso de fotografia do Centro Europeu registraram os nove grupos folclóricos que se apresentaram na Festa dos Imigrantes. A parceria entre as instituições teve o intuito de reproduzir os diferentes elementos que compõe a cultura de cada etnia representada na festividade.

No evento, utilizando da dança folclórica os grupos mostraram ao público suas tradições, suas crenças e divulgaram a rica cultura dos diferentes países que colonizaram o Estado. A mistura de todas as etnias que imigram para o Brasil e aqui se estabeleceram formam deste Estado o ‘Paraná de Todos os Povos’.

A ligação entre o folclore e a cultura de uma comunidade é muito forte, são os costumes de um povo representado por meio dessa manifestações, relata o historiador da APHC Felipe Pedroso. “O espaço foi aberto para esta mostra com o intuito de celebrar o mês do folclore e retratar por diferentes percepções a pluralidade étnica e cultural do Estado. A ação também contribui para fomentar a pratica da fotografia como arte”.

Foram tiradas mais de 2 mil fotos, destas pré-selecionadas 700 e foram escolhidas para a exposição 30 fotos. Para a seleção das fotos o Parque Histórico contou com a curadoria do fotografo Rodrigo Covolan, do coordenador do curso de fotografia do Centro Europeu Marcelo Pereira Leite e do historiador da APCH Felipe Pedroso. Todos os grupos foram representados, alguns dançando e outros por meio de elementos característicos de cada cultura. Marcelo Pereira Leite afirma que a oportunidade dada pela instituição museal é um incentivo a carreira e ao estudo de fotografia dos alunos. “Em tão pouco tempo de curso ocorrer uma oportunidade dessas, de expor seus trabalhos, faz com que o aluno desde o início tenha a responsabilidade de realizar boas fotos”, finaliza.

Recommended Posts

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt