Parque Histórico incentiva a todos a fazerem uma caça aos ovos na Páscoa

 em Destaque, Noticias

A tradição da animada brincadeira é uma oportunidade para pais e filhos se divertirem em casa, na Páscoa, como relatam famílias da comunidade holandesa e alemã de Carambeí.

Zoek de eieren! (Procure os Ovos) é uma brincadeira milenar que se tornou tradição na Colônia Carambehy entre as famílias de imigrantes holandeses, alemãs e seus descendentes. O Parque Histórico de Carambeí, maior museu histórico a céu aberto do Brasil, resgatou essa brincadeira já que na comunidade o domingo de Páscoa passou a ser marcado pela diversão de caçar ovos pelos jardins.

Neste ano o Parque Histórico está fechado por tempo indeterminado, seguindo decreto do Governo do Estado do Paraná e orientações dos órgãos mundiais de saúde como forma de prevenção ao contágio do COVID-19, por isto não haverá o tradicional Zoek de eieren! pelos jardins do museu. Como forma de manter viva essa tradição milenar o coordenador cultural e historiador do museu, Felipe Pedroso, incentiva os pais a organizarem uma animada caça aos ovos pelos jardins ou dentro de suas residências, a aproveitar esse momento em família e tornar a Páscoa da criançada mais divertida com uma brincadeira tão antiga.

“Uma forma de reunir as famílias em quarentena e amenizar um pouco esse momento de tensão é realizar essa divertida brincadeira herdada pelos grupos de imigrantes holandeses e alemães. A brincadeira é muito simples e garante a união de toda a família. Nós do museu incentivamos que as pessoas realizem em casa, no jardim, quintal ou pelos cômodos mesmo, pois desse modo garantimos as recomendações sanitárias que o momento exige, mas não deixamos de ter algo divertido e animador nessa data tão especial”, Felipe convida todos a entrarem na brincadeira.

A tradição do Caça aos Ovos nas famílias holandesas e alemãs

Como forma de estimular o público a reproduzir o Zoek de eieren! e preservar essa tradição algumas pessoas da comunidade, descendentes de imigrantes holandeses e alemães, relataram como era divertido e tão esperado o domingo de Páscoa.

Em um domingo de Páscoa Wilhelmina entre seus irmãos Martin e Regina

Wilhelmina Dijkinga, filha da imigrante holandesa Anna Margaretha Kuipers e Theodoro Los descendentes de uma das primeiras famílias de imigrantes holandeses que chegou a Carambeí, relata como era o costume do domingo de páscoa em sua família. “Lembro que quando era bem pequena meus pais tinham a tradição de esconder os ovos de chocolate, antes que acordássemos no domingo de Páscoa. Na época os ovos de chocolate eram embrulhados em papel laminado, de vários tamanhos, não tinha este papel de embrulho bonito com um laço, era simples, mas para nós era a maior festa. Saíamos da cama rapidinho neste domingo. Quando o tempo estava frio ou chuvoso os ovos não podiam ser escondidos no jardim e eram escondidos na sala de estar mesmo. Antes de procurarmos tínhamos que ajudar a mãe a decorar os ovos de galinha, que ela cozinhava para comermos no café da manhã. Era divertido, porque cada um queria pintar mais bonito que o outro.  Depois do café da manhã todos ajudávamos na cozinha para sairmos procurar os ovos de chocolate. Nossa, como era divertido! Depois que todos achavam seus ovos saiamos correndo para nos arrumar e ir à igreja, alguns iam com os dedos ou boca lambuzada de chocolate. E todo ano se repetia a brincadeira, até casarmos e termos nossos próprios filhos e seguir esta tradição”. Saudosa, Wilhelmina conta que ainda preserva esse costume de família.  “Ainda hoje faço a caça aos ovos para meus filhos, que já são adultos, que pedem todos os anos para esconder os ovos”.

A brincadeira de Caça aos Ovos continua atual na casa da Gerdiena Dykstra

O ovo é símbolo da Páscoa, representa nascimento e no cristianismo a data festiva que celebra a ressurreição de Jesus Cristo se caracteriza pela esperança em uma nova vida. Gerdiena Dykstra, descendente de holandeses, narra como era a tradição de sua família quando era pequena, que na época não fazia caça aos ovos e que decorava ovos cozidos, também como a caça aos ovos é uma brincadeira divertida. “Eu e meus irmãos não ganhávamos ovos de chocolate, mas minha mãe cozinhava ovos e nos divertíamos pintando. Com o passar do tempo, com o nascimento dos meus filhos e sobrinhos, minha mãe começou a esconder ovos de chocolate pelos jardins e as crianças se divertiam caçando os ovos. Com os meus netos faço caça ao tesouro, dou dicas e eles precisam procurar em alguns lugares. Uma vez escondi um ovo em uma calha e esqueci, alguns dias depois choveu e fiquei surpresa ao ver o ovo. Como é gostoso relembrar”. Gerdiena, nostálgica, conta como fazia quando seus netos eram pequenos. “Sinto saudades de quando meus netos eram pequenos e com uma cestinha saiam caçando os ovos, fazia patinhas de coelho por todos os lados, as crianças já esperavam por isto. Este ano ainda não decidi como farei, meus netos cresceram, mas certamente ainda gostam de uma divertida caça aos ovos”.

 

Lembranças do caça aos ovos da família de Edeldraut

Descendente da primeira geração de alemães em Carambeí, Edeltraut Goltz conta como era a tradição do domingo de Páscoa em sua família e que ainda preserva esse costume. “Minha Páscoa era catando ovo, meu pai pedia para ficarmos no quarto com as cortinas fechadas enquanto ele verificava se o coelho tinha ido embora. Só podíamos sair por volta das 11h, pois a grama precisava estar seca, quando saíamos em busca dos ovos o meu pai dizia se estava quente ou frio para avisar se estávamos perto de achar. Na casa dos meus pais essa tradição foi até o ano de 2011, quando minha mãe faleceu. A brincadeira que meu pai fazia para os filhos pequenos continuou com os genros, nora e netos, mas hoje ele já não faz mais por problemas de saúde. Na minha casa preservo esse costume e faço a caça aos ovos para minhas filhas e genros”.

Zoek de eieren! no museu

A brincadeira de caça aos ovos, ainda é tradição em muitas famílias de imigrantes em Carambeí, teve a sua primeira edição no Parque Histórico no ano de 2015. A atividade teve por intuito preservar esse costume e também aproximar a comunidade do museu. Em algumas famílias passar o domingo de Páscoa no museu tornou-se tradição.

A alegria de Daniel Marcondes, filhos de Elisângela, na caça aos ovos

A carambeíense Elisângela Marcondes participou de todas as edições do Zoek de eirein! no Parque, trouxe seu filho e sobrinhas em todas e conta o que a motivou proporcionar as crianças passar momentos de muita diversão no museu. “O Parque Histórico é um lugar lindo, é uma brincadeira ao ar livre para as crianças, são momentos de pura diversão e no final tem a recompensa de encontrar ovos com amendoim ou um saquinho com doces. Todos nós nos divertimos”, relata Elisângela Marcondes.

Registro de Pâmela Vriesman em uma das edições do Zoek de eieten!

Pâmela Vriesman sempre participou da brincadeira com seus filhos. “A caça aos ovos pelos jardins do Parque é divertida para as crianças e para nós, sempre gostamos muito de ir ao museu”, finaliza.

Postagens Recomendadas
Contate-nos

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt