Muito além da culinária – A herança alimentar da imigração holandesa em Carambeí

 In Destaque

A alimentação foi um aspecto importante na formação da cultura holandesa. Muitos dos seus hábitos e de sua identidade cultural estão relacionados direta e indiretamente às práticas alimentares adotadas pelo povo Batavo. O uso do tamanco de madeira por exemplo, símbolo da sua cultura, tem relação com a tradição láctea, além de servir como isolante térmico no rigoroso inverno europeu era também uma proteção para possíveis pisoteadas durante a ordenha.

Pieter_Aertsen_-_Market_Scene_-_Google_Art_Project
The Market Scene – Pieter Aertsen – Reprodução ( Pintura do artista holandês Pieter Aertsen, que retratou os hábitos alimentares dos holandeses)

A tradição láctea deste povo definiu não somente aspectos culturais, sociais e econômicos, mas também, a sua estrutura fisiológica. Estudos recentes comprovam que o alto índice de consumo de produtos lácteos no decorrer dos séculos possibilitou um aumento significativo da estatura da população, tornando os holandeses um dos povos mais altos do mundo. Durante o período Medieval e Moderno o leite era tido como a bebida nacional, tendo inclusive casas dedicadas ao comércio deste produto, as famosas Melk Tent. Assim como o alto consumo de laticínios, os holandeses ficaram conhecidos também por serem os maiores consumidores de vegetais da Europa. Com uma alimentação avaliada como das mais saudáveis e nutritivas do mundo, sua culinária foi influenciada pela simplicidade e pelos sabores da fazenda.

Postal Holandês – Melk Tent (Ano não identificado) Acervo APHC

Este é um dos motivos pelo qual o consumo de carne está relacionado à criação de animais, o uso da carne suína é comum nas regiões rurais e nos centros urbanos, sendo uma herança medieval que percorre as tradições culinárias.

De varkensslachter, Jan Victors, 1648 (Rijkmuseum)
De varkensslachter, Jan Victors, 1648 (Rijkmuseum)

As famílias de holandeses que em Carambeí se estabeleceram trouxeram consigo suas tradições, a produção láctea foi a propulsora da economia da colônia, mas a criação de suínos para a subsistência foi tão importante quanto, pois além de alimentar as numerosas famílias, poderia se transformar em lucro com a comercialização do excedente de produção.

São inúmeras as contribuições da imigração holandesa na região, mas o desenvolvimento da indústria alimentícia com base em suas tradições de origem é uma das mais significativas. Isso possibilitou a incorporação ao cardápio brasileiro de traços de sua cultura culinária. Presente no cotidiano – a alimentação garantiu a preservação do seu patrimônio imaterial, tornando viva a herança holandesa com um toque de sabor e história à mesa.

 

Felipe Pedroso, Historiador, pós-graduado em História, Arte e Cultura, pós-graduando em Museografia e Patrimônio Cultural e Coordenador Cultural do Parque Histórico de Carambeí.

 

Recommended Posts

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt